Dermatose - HERPES

O que é HERPES? A Herpes é uma doença viral recorrente, geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex 1 e 2, que afecta principalmente a mucosa da boca ou região genital, mas pode causar graves complicações neurológicas.

Vírus Herpes Simplex (HSV) 1 e 2
Grupo: Grupo I (dsDNA)
Familia: Herpesviri
dae
Subfamília:Alphaherpesvirinae
Género: Simplexvirus
Espécie: Herpes simplex virus 1 (HSV-1)
Espécie: Herpes simplex virus 2 (HSV-2)
HSV são dois vírus da família dos Herpesvirus, com genoma de DNA bicatenar (dupla hélice) que se multiplicam no núcleo da célula-hóspede, produzindo cerca de 90 proteínas víricas em grandes quantidades. Têm nucleocapsídeo de simetria icosaédrica e envelope bilipídico. Têm a propriedade de infectar alguns tipos de células de forma lítica (destrutiva) e outras de forma latente (hibernante). Os HSV1 e 2 são líticos nas células epiteliais e nos fibroblastos, e latentes nos neurônios, donde são reactivados em alturas de fragilidade do indivíduo, como stress, febre, irr
adiação solar excessiva, trauma ou terapia com glucocorticóides (corticosteróides). A produção de proteínas víricas pelas células tomadas pelo vírus têm três fases: na primeira produzem-se as proteínas envolvidas na replicação do seu genoma e essa replicação ocorre. Na segunda há produção de proteínas reguladoras víricas que regulam o metabolismo da célula para maximizar o número de virions produzíveis; e na terceira há produção das proteínas do nucleocapsídeo e construção das novas unidades virais, após o qual a célula é destruída pela grande quantidade de vírus que é fabricada.
Os HSV1 e HSV2 são muito semelhantes, mas apresentam algumas diferenças significativas. O tem características
que o levam a ser particularmente infeccioso e virulento para as células da mucosa oral. O HSV2 tem características de maior virulência e infecciosidade para a mucosa genital. No entanto, o HSV1 também pode causar herpes genital e o HSV2 herpes bucal.

Todo mundo pega ?
Sim, todo mundo tem em algum momento contato com o vírus do herpes simples, que pode ser transmitido através da saliva do beijo, por relação sexual, por outras secreções ou até pelas mãos de pessoas que possuem o vírus. Este fica escondido em uma junção nervosa do corpo ( assintomático ), até se manifestar em qualquer fase da vida. A maioria das pessoas são portadoras do vírus e não chegam a desenvolver a lesão.

Como aparece a lesão ?

A pele onde irá aparecer a lesão começa a ficar mais sensível e a coçar. Inicia-se um pequeno inchaço, formando-se pequeninas bolhas, que geralmente são bastante dolorosas. Quando estas bolhinhas rompem-se ocasiona uma ferida com secreção. É nesta fase que o vírus pode ser f
acilmente transmitido. Os sintomas são mais graves nas primeiras infecções, onde o processo de cicatrização pode levar até 4 semanas, mas normalmente após alguns dias a ferida começa a secar e finalmente inicia-se o processo de cicatrização.
Isto é, após infecção da mucosa, o vírus multiplica-se produzindo os característicos exantemas (manchas vermelhas inflamatórias) e vesículas (bolhas) dolorosas (causadas talvez mais pela resposta destrutiva necessária do sistema imunitário à invasão). As vesículas co
ntêm líquido muito rico em virions e a sua ruptura junto à mucosa de outro indivíduo é uma forma de transmissão (contudo também existe vírus nas secreções vaginais e do pénis ou na saliva). Elas desaparecem e reaparecem sem deixar quaisquer marcas ou cicatrizes. É possivel que ambos os vírus e ambas as formas coexistam num só indivíduo.
Os episódios agudos secundários são sempre de menor intensidade que o inicial (devido aos linfócitos memória), contudo a doença permanece para toda a vida, ainda que os episódios se tornem menos freqüentes. Muita
s infecções e recorrências são assintomáticas.

Quando a lesão irá aparecer ? Basicamente algumas situações podem provocar o reaparecimento da lesão herpética; tais como gripe, fadiga, transtornos emocionais, stress, luz solar intensa ou frio intenso, mas estes fatores podem variar de indivíduo a indivíduo. Normalmente no desencadear de uma nova lesão o indivíduo pode sentir uma sensibilidade maior em uma determinada part
e do corpo onde não necessariamente a lesão irá eclodir. A percepção desta sensibilidade ( adquirida após algumas ocorrências da lesão ) será benéfica ao paciente, pois este momento é o ideal para se iniciar um tratamento com medicamentos que na maioria das vezes reduzirá o tempo da lesão.

O que faz
er quando surge a lesão ? Antes de qualquer coisa procure seu médico, pois este está preparado para orientá-lo. A cada dia surgem novos medicamentos que ajudam o indivíduo a superar mais rapidamente o período da lesão, a até algumas vacinas que pretendem diminuir a incidência das lesões.


Herpes Oral ou Labial
A infecção por herpes simplex 1 normalmente é oral e produz gengivomastite (inflamação das gengivas). O vírus invade os terminais dos neurónios dos nervos sensitivos, infectando latentemente os seus corpos celulares no gânglio nervoso trigeminal (junto ao cérebro). Quando o sistema imunitário elimina o vírus das mucosas, não consegue detectar o vírus quiscente dos neurônios, que volta a ativar-se em períodos de debilidade, como stress, trauma, imunosupressão ou o
utras infecções, migrando pelo caminho inverso para a mucosa, e dando origem a novo episódio de herpes oral com exantemas e vesículas dolorosas. Complicações raras são a queratoconjuntivite do olho que pode levar à cegueira e à encefalite. Esta cursa com multiplicação do vírus no cérebro, especialmente nos lobos temporais com convulsões, anormalidades neurológicas e psiquiátricas. É altamente letal, e 70% dos casos resultam em morte, apenas 20% dos sobreviventes não apresentam sequelas neurológicas. Raramente é causada pelo HSV2.



<Herpes Genital Masculina
Herpes Genital Feminina>

A infecção por herpes simplex 1 normalmente é oral e produz gengivomastite (inflamação das gengivas). O vírus invade os terminais dos neurónios dos nervos sensitivos, infectando latentemente os seus corpos celulares no gânglio nervoso trigeminal (junto ao cérebro). Quando o sistema imunitário elimina o vírus das mucosas, não consegue detectar o vírus quiscente dos neurônios, que volta a ativar-se em períodos de debilidade, como stress, trauma, imunosupressão ou outras infecções, migrando pelo caminho inverso para a mucosa, e dando origem a novo episódio de herpes oral com exantemas e vesículas dolorosas.

Complicações raras são a queratoconjuntivite do olho que pode levar à cegueira e à encefalite. Esta cursa com multiplicação do vírus no cérebro, especialmente nos lobos temporais com convulsões, anormalidades neurológicas e psiquiátricas. É altamente letal, e 70% dos casos resultam em morte, apenas 20% dos sobreviventes não apresentam sequelas neurológicas. Raramente é causada pelo HSV2.


Possível ligação com o mal de Alzheimer
Durante uma pesquisa feita no Reino Unido pela Universidade de Manchester, cientistas sugeriram uma ligação entre o vírus da herpes e o Mal de Alzheimer.
Na pesquisa os cientistas infectaram um cultura de células do cérebro com o vírus HSV-1 e verificou-se um grande aumento na quantidade de proteína beta amilóide, proteina esta que forma placas no cérebro de doentes de Alzheimer destruindo os neurônios.
Em experiência paralela, os pesquisadores examinaram partes do cérebro de doentes que faleceram em decorrência de Alzheimer e detectarram o material genético do vírus da herpes acumulado sobre as placas de proteína beta amilóide.
Em pesquisas anteriores já se havia sugerido que o vírus HSV-1 era encontrado em 70% dos cérebros dos doentes com Alzheimer.
É possível que está descoberta possa abrir caminho para a criação de uma vacina que previna o mal de Alzheimer.
"O Alzheimer é disparado por vários fatores e a nossa pesquisa aponta que uma série de mutações genéticas e o vírus da herpes podem estar contribuindo para a doença. No futuro, as pessoas poderão ser imunizadas contra o vírus HSV-1, o que poderia ajudar na prevenção da doença degenerativa". Ruth Itzhaki, líder da pesquisa.

Fonte: Revista New Scientist.


Cuidados importantes
1)
Nunca estoure as bolinhas e nem arranque a crosta da ferida pois isto poderá prolongar o período da lesão, provocar infecções e conseqüentemente deixar cicatrizes.

2)
Não passe substâncias como mercúrio cromo, éter, álcool – isto poderá agravar o quadro e retardar a recuperação.

3)
Procure manter a área higienizada e faça compressas com água boricada gelada.

4)
O herpes é contagioso para indivíduos que nunca tiveram infecção, portanto lave sempre as mãos depois de tocá-lo
.
5)
Evite esfregar os olhos sem lavar as mãos depois de tocá-lo.

6)
Evite beijar pessoas durante o período da lesão, no caso de herpes labial.

7)
Evite contato sexual na presença de lesões ou suspeita de período de lesão.

8)
No caso de exames pré-natal o médico deve ser notificado se você já teve ou suspeitou de algum tipo de lesão herpética. Ele a submeterá a exames que determinem se o vírus está em atividade ou não.

9) Procure seu médico, ele é seu maior aliado na luta contra o herpes.
10)
Não recorra a remédios caseiros, isso poderá causar sérios problemas, já que existem outras doenças que apresentam sintomas parecidos e cujo tratamento é totalmente diferente.

11)
O médico possui as melhores alternativas para ajudá-lo a superar os período
s da lesão herpética.

7 comentários:

Anônimo disse...

meu nome é alexandre, tenho herpes genital, fico muito incomodado com a recidiva da doença, não por ter a doença, mas por ter a recidiva a cada 15 dias, a ferida cicatriza e no máximo 15 dias depois ela volta.
Estou tomando o aciclovir 200mg, não adianta nada, não diminui em um dia sequer a recidiva, nem o tempo de duração. Será que o que eu tenho é mesmo herpes genital? Existe alguma outra doença com sintomas parecidos e que se manifestam através de recidivas constantes?
Pelo amor de Deus doutora, responda a minha pergunta!!! Você estará aliviando o coração de uma pessoa que ainda se pergunta: -Como foi que isso aconteceu em minha vida?
meu e:mail; chambinho-x@hotmail.com

Anônimo disse...

A herpes é uma doença que atingem 90% da população mais poucas pessoa sabem que tem mesmo aparecendo as bolhas ficam pensando que é outra coisa com poto, aranha etc. Então voces poderiam fazer uma canpanha de concientização para todos saber o que fazer quando essa doença aparecer e outra a vacina é muito carra 240r$ é a metade de um asalariado.

Anônimo disse...

Gostei muito da matéria. Nos itens 10 e 11, se fala em sempre procurar um médico, mas fica muito difícil na hora de procurar este profissional. No carnaval passado o meu marido começou com os sintomas e precisamos procurar duas clinicas diferentes, para se ter uma idéia o primeiro medico na soube dar o diagnóstico e a médica que passou um remédio a base de corticóide para tomar e somente o terceiro falou que todas as medicações estavam acelerando mais o vírus. Ainda existe profissionais que não conhecem esta doença? Até quem não fez medicina conhece.
Precisamos de profissionais da área médica mais preparados e atualizados.

Anônimo disse...

Conheçam a melhor forma de tratar o Herpes. Acessem http://www.herpesnuncamais.com e descubra como adormecer o vírus no seu organismo de maneira definitiva. Método comprovado!

Anônimo disse...

Eu tive herpes genital , gostaria de saber depois que ela cicatrizar eu poderia ter relação sem preservativo ?

Anônimo disse...

Estou com herps oq fazer pra sara depressa?

sol disse...

Olá gostaria de saber como superar o trauma de ter pego o vírus da Herpes genital ? e como falar para o parceiro sem correr o risco de ser rejeitada !!!!

Estética em Notícias

TEMPO